Projecto HAARP (II)


Depois daquilo que vos disse sobre o Projecto HAARP e das acusações feitas por Hugo Chavez, (Ler Aqui),  a agência económica Bloomberg publicou uma entrevista feita a Stephen Pierce, geólogo e director de uma companhia de perfuração Israelita, Zion Oil & Gas Inc..

 O terramoto de 12 de Janeiro de 2010, que matou mais de 150 mil pessoas no Haiti, tornou exploráveis as imensas reservas de petróleo existentes naquele país só na ilha de Hispaniola que é composta pelo Haiti e pela República Dominicana, as reservas podem ascender aos 3 milhões de barris de petróleo, além de uma imensa quantidade de gás. (Ler Aqui)

Para alem disso, existem provas concludentes de que os Estados Unidos descobriram petróleo no Haiti décadas atrás e que devido a circunstancias geopolíticas e a interesses do chamado Big Business, foi tomada a decisão de manter o petróleo haitiano na reserva para quando o Médio Oriente escasseasse.
Isto é pormenorizado pelo Dr. Georges Michel, num artigo datado de 27 de Março de 2004 em que esboça a história do Dr. Ginette e Daniel Mathurin. (Ler Aqui)

Anúncios

Projecto HAARP


O projecto HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program), é um programa de Investigação financiada pela Força Aérea dos Estados Unidos, a Marinha e a Universidade do Alaska com o propósito oficial de “entender, simular e controlar os processos ionosféricos que poderiam mudar o funcionamento das comunicações e sistemas de vigilância”.

Em 1999, o Parlamento Europeu emitiu uma resolução onde afirmava que o Projecto HAARP manipulava o meio ambiente com fins militares, sustentando uma avaliação do projecto por parte da STOA (Science and Technology Options Assessment), o órgão da União Europeia responsável por estudo e avaliação de novas tecnologias, HAARP é uma arma dos Estados Unidos, capaz de controlar o clima provocando inundações e outras catástrofes.

27. Entende que o HAARP (Programa de Investigação de Alta Frequência Auroral Activa), em virtude dos seus profundos efeitos para o ambiente, é uma questão de interesse mundial e exige que os aspectos jurídicos, ecológicos e éticos sejam investigados por órgãos internacionais independentes antes da continuação da investigação e dos testes; deplora que o Governo dos Estados Unidos tenha repetidas vezes recusado enviar um representante testemunhar, na audição pública ou em qualquer outra reunião subsequente da comissão competente, sobre os riscos que comporta para o ambiente e para as populações um programa de investigação sobre as radiações de alta frequência (HAARP) financiado actualmente no Alasca;

28. Solicita ao Grupo de Avaliação das Opções Científicas e Técnicas (STOA) que aceite apreciar as provas científicas e técnicas fornecidas em todos os estudos sobre o HAARP a fim de avaliar a exacta natureza e o grau de risco criado pelo HAARP, tanto para o ambiente local como mundial e para a saúde pública em geral;

29. Convida a Comissão, em cooperação com os Governos da Suécia, da Finlândia, da Noruega e da Federação da Rússia, a apreciar as implicações do programa HAARP para o ambiente e a saúde pública nas regiões antárcticas da Europa e a apresentar um relatório ao Parlamento sobre

o resultado das suas investigações;

30. Solicita em particular a adopção de uma convenção internacional que institua uma proibição global de qualquer tipo de investigação e desenvolvimento, quer civil quer militar, que procure aplicar os conhecimentos existentes em matéria de funcionamento do cérebro a nível químico, eléctrico, de vibração sonora ou outro, ao desenvolvimento de armas susceptíveis de permitir a manipulação de seres humanos, bem como a proibição da instalação, efectiva ou eventual, de tais sistemas;

31. Insta a União Europeia e os seus Estados-Membros a actuarem no sentido da conclusão de acordos internacionais que permitam a protecção do ambiente contra destruições desnecessárias em caso de guerra;

Podem ler mais no Parlamento Europeu Aqui

 Em 2002, o Parlamento Russo apresentou ao Presidente Vladimir Putin um relatório assinado por 90 deputados dos comités de Relações Internacionais e de Defesa, onde alega que o Projecto HAARP é uma nova “arma geofísica”, capaz de manipular a baixa atmosfera terrestre.

Como funciona o HAARP

CHAVEZ ACUSA EUA DE TER USADO HAARP NO HAITI