Eleições Europeias 2014


Conferência de apresentação da candidatura do PNR às Eleições Europeias

eleições europeias PNR, PSD, CDS, PS,BE PCP

Eleições Europeias 2014 Partido Nacional Renovador

No Sábado, dia 29 de Março, pelas 17h30, o PNR realiza uma conferência de imprensa para apresentação da sua já anunciada candidatura às Eleições Europeias.

Esta terá lugar no Hotel Reno, em Lisboa, e visa apresentar as linhas programáticas desta candidatura Nacionalista, bem como algumas acções de propaganda, já agendadas.

A conferência pretende apresentar-se à imprensa, sendo, no entanto, aberta a todos os queiram assistir e participar no espaço de perguntas a serem colocadas ao candidato cabeça-de-lista, Humberto Nuno de Oliveira.

Fonte: Eleições Europeias 2014, PNR

Evelyn Houard auditoria de cidadão à dívida do Estado


Intervenção de Evelyn Houard Partido Nacional Renovador

Evelyn de Moraes e Castro Houard

Evelyn Houard auditoria de cidadão à dívida do Estado

Intervenção da Dra. Evelyn de Moraes e Castro, com “As perspectivas e desafios do desmantelamento do Estado na era da mundialização: o papel fulcral do cidadão”, onde traçou um cenário em muito semelhante e complementar ao da palestra anterior, propondo, contra este estado calamitoso e contra esta agenda intencional de desmantelamento de Portugal, o papel activo do cidadão.

Evelyn Houard auditoria de cidadão à dívida pública

Evelyn Houard auditoria de cidadão à dívida pública

II Estados Gerais do Partido Nacional Renovador Nesse contexto, explicou a viabilidade de se constituir uma plataforma de cidadãos que exijam uma auditoria às contas do Estado das últimas décadas, a fim de se apurar que parte da dívida externa é legal e que parte é ilegal. A ser levada a cabo tal auditoria, toda a dívida ilegal ficaria automaticamente anulada e os responsáveis seriam julgados e condenados, à semelhança do que aconteceu, por exemplo, na Islândia. O PNR fará desta causa, que exige muita coragem, também uma causa e luta sua.

Segue a chama…


É preciso definir o sentido das aspirações colectivas, devolvendo o ideal do progresso pátrio. Queremos um Portugal forte, instruído e moralizado, liberto das amarras marxistas que perduram á 37 anos.

Não compreendo que um punhado de inúteis passe a maior parte do tempo a roubar esta pobre nação, desalentada e afogada em dívidas. À que iluminar o caminho, rasgar o nevoeiro que turva o olhar e seguir a chama que à em cada um de nós… Existe uma solução, Partido Nacional Renovador.

Portugal não deve morrer!

Até quando iremos permitir que nos tratem como lixo?

PNR 10 de Junho de 2011


Ontem, hoje e sempre, Portugal independente

Legislativas 2011


Partido Nacional Renovador

Partido Nacional Renovador

Legislativas 2011

Pela primeira vez o PNR estará presente na totalidade dos círculos eleitorais para umas eleições legislativas.

Já foram entregues, em todos os Tribunais, as listas completas de candidatos efectivos e suplentes para os 22 círculos eleitorais.

Deste modo, foi alcançado o objectivo principal a que a Comissão Política se propôs: participação total nos círculos e cumprimento da lei da paridade, apesar de a encararmos como um absurdo arbitrário e ofensivo para as mulheres, por via de uma discriminação positiva.

A lista de Lisboa será encabeçada novamente pelo Presidente do Partido, José Pinto-Coelho.

No 1º de Maio, com manifestação em Coimbra, para celebrar o dia do “Trabalho Nacional”, será dado o pontapé de saída da nossa campanha, a qual se pautará pela sobriedade nos meios mas pelo activismo da militância.

Lamentamos e denunciamos o golpe que novamente se prepara para promover apenas o “Clube dos Cinco”, apresentando aos portugueses como única alternativa os cinco partidos de sempre que, sendo mais do mesmo, são também os grandes responsáveis pelo descalabro nacional.

Contamos com uma subida eleitoral e apelamos a que os portugueses, abandonando a “lógica” do voto útil, apostem na solução nacionalista que é a grande Alternativa Nacional, votando PNR!

PNR recebe SPP na sua Sede


Reuniram-se ontem, na sede do PNR em Lisboa, os dirigentes do SPP (Sindicato dos Profissionais da Polícia), António Ramos e Mário Andrade, com o Presidente do Partido, José Pinto-Coelho e Joaquim Santos, Vogal da Comissão Política e responsável pelo pelouro da Defesa e Forças de Segurança.

Nessa reunião de trabalho e troca de impressões, o PNR reiterou o total apoio à Polícia e à sua luta. Os dirigentes da SPP explicaram detalhadamente as suas reivindicações e elencaram todos os problemas e falta de apoio que afectam os Agentes, as suas condições de trabalho e a sua autoridade.

O PNR emitirá, em breve, um documento de tomada de posição sobre o assunto, no qual denunciará a realidade inqualificável das carências e falta de condições em que os Agentes exercem as suas funções e apontará, de modo reforçado e ainda mais fundamentado, aquelas que têm sido as suas propostas.

O PNR opõe-se à actual Nato


A propósito da cimeira da Nato, a ter lugar em Lisboa nos próximos dias 19 e 20 de Novembro, vem o PNR protestar a sua repulsa por este acontecimento.

A Nato, criada em 1949, contou com Portugal como membro fundador, e muito bem, pois vivia-se o tempo conturbado do pós-guerra onde a partilha do mundo e a guerra fria que se avizinhavam e adivinhavam. Tal situação aconselhava assim à criação de uma organização que protegesse as nações ocidentais de prováveis ataques do bloco comunista e servisse ainda como elemento fortemente dissuasor.

A verdade é que, passados mais de 60 anos sobre a sua fundação, e alteradas as circunstâncias geo-estratégicas à escala mundial, a Nato transfigurou-se, e é hoje, claramente, uma organização ao serviço dos interesses dos Estados Unidos e do poder sionista.

Os interesses nacionais – de defesa, no contexto europeu e ocidental – já não estão salvaguardados com os moldes da actual Nato, levando-nos a questionar se ainda fará sentido permanecermos nela.

Portugal não tem que ser subserviente face a interesses estratégicos alheios aos nossos, nem deve gastar recursos com o envio de tropas para teatros de operações que não nos dizem respeito e mais do que isso, podem criar baixas entre os nossos militares.

Por esses motivos, vem o PNR manifestar o seu desagrado com a mega reunião da Nato, para a qual, Portugal, como país anfitrião, despende milhões que muita falta nos fazem para fins bem mais úteis.

Comissão Política Nacional | 15 Novembro 2010