Protestos na cidade de Nabi Saleh


Cisjordânia – Jovem palestiniana manifesta-se perante o olhar de um soldado israelita durante uma manifestação na cidade de Nabi Saleh contra a expansão do assentamento Helmic.

América e Israel posicionam os vasos de guerra


Onze navios de guerra americanos e um israelita cruzaram o Canal de Suez esta sexta-feira a caminho do Mar Vermelho. 

De acordo com o relatório de tráfego no canal, este teria sido interrompido por várias horas a fim de permitir que os navios da Marinha E.U., que incluía um porta-aviões que transportava tropas de infantaria e blindados, efectuassem a passagem entre Mediterrâneo e o Mar Vermelho.

O antigo General egípcio Amin Radi, presidente da comissão de assuntos de segurança nacional, disse ao jornal que “a decisão de declarar guerra ao Irão não é fácil, e Israel, devido à sua natureza selvagem, pode iniciar uma guerra de forma a a manter a supremacia nuclear na região.

O Lobby judaico


Doze Regras de Redacção dos Grandes Media Internacionais


1) No Médio Oriente são sempre os árabes que atacam primeiro e sempre Israel que se defende. É inconveniente falar em “represálias” quando se tratar do exército israelita.

2) Os árabes, palestinianos ou libaneses não têm o direito de matar civis. A isso chama-se “terrorismo”.

3) Israel tem o direito de matar civis. A isso chama-se “legítima defesa”.

4) Quando Israel mata civis em massa, as potências ocidentais pedem que seja mais comedido. A isso chama-se “reacção da comunidade internacional”.

5) Os palestinianos e os libaneses não têm o direito de capturar soldados de Israel dentro de instalações militares com sentinelas e postos de combate. Isso chama-se “sequestro de pessoas indefesas”.

6) Israel tem o direito de sequestrar a qualquer hora e em qualquer lugar quantos palestinianos e libaneses desejar. Actualmente são mais de 10 mil, 300 dos quais são crianças e mil são mulheres. Não é necessária qualquer prova de culpabilidade. Israel tem o direito de manter sequestrados presos indefinidamente, mesmo que sejam autoridades eleitas democraticamente pelos palestinianos. Isto chama-se “prisão de terroristas”.

7) Quando se mencionam as palavras “Hezbollah” e “Hamas”, é obrigatório a mesma frase conter a expressão “apoiado e financiado pela Síria e pelo Irão”.

8) Quando se menciona “Israel”, é proibida qualquer menção à expressão “apoiado e financiado pelos EUA”. Isso poderia dar a impressão de que o conflito é desigual e que Israel não está em perigo de existência.

9) Quando se referir a Israel, são proibidas as expressões “territórios ocupados”, “resoluções da ONU”, “violações dos Direitos Humanos” ou “Convenção de Genebra”.

10) Tanto os palestinianos como os libaneses são sempre “cobardes”, que se escondem entre a população civil. Se eles dormem nas suas casas, com as suas famílias, a isso dá-se o nome de “dissimulação” e “cobardia”. Israel tem o direito de aniquilar com bombas e mísseis os bairros onde eles dormem. A isso chama-se “acção cirúrgica de alta precisão”.

11) Os israelitas falam melhor inglês, francês, espanhol e português que os árabes. Por isso eles e os que os apoiam devem ser mais entrevistados e ter mais oportunidades do que os árabes para explicar as presentes Regras de Redacção (de 1 a 10) ao grande público. A isso chama-se “neutralidade jornalística”.

12) Todas as pessoas que não estão de acordo com as Regras de Redacção acima expostas são “terroristas anti-semitas de alta periculosidade”.

Die with love


Dear Lebanese/Palestinian/Arab/Muslim/Christians – Kids, 

Die with love.

Yours, Israeli Kids

Chamam a isto Kosher


 Kosher, é o nome que se dá aos alimentos que obedecem ás leis alimentares judaicas, bem como a todos os utensílios.

Sabia que os animais devem sofrer enquanto são mortos, para que o povo judaico os possa comer?

Sabia que você paga uma taxa “Kosher tax”, ás associações de Rabis, em quase toda a comida que compra?

A destruição de um povo, Palestina


A Voz Nacional -- A destruição de um povo, Faixa de Gaza

A Voz Nacional -- A destruição de um povo, Faixa de Gaza