Abriu-se mais uma porta para legalizar estrangeiros


O “casamento” homossexual passara a ser permitido entre “casais” compostos por um cidadão estrangeiro e um português.

Venha de lá essa “boa rapaziada”

O novo mundo


“Sou a inveja das bichas de Lisboa”

  Não se admirem, mas em breve ainda iremos assistir à celebração de um casamento GAY pelo compreensivo bispo Januário, sem faltar o patrocínio da Câmara de Lisboa, que provavelmente irá disponibilizar o espaço para o arraial.

De onde vêm os bebés?


Cavaco Silva promulga lei do casamento homossexual


Pois é meus amigos, para aqueles que votaram e continuam a votar nos tagarelas da nossa praça só tenho uma palavra a dizer… Habituem-se

A degradação


Comentários, para quê?


Donativos do IRS podem reverter para a ILGA – Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero e sei lá mais o quê!!!!!

Pela primeira vez a lista das identidades autorizadas pelo Ministério das Finanças a receber parte dos impostos dos contribuintes passa a integrar a associação ILGA. O desgoverno considerou esta associação de carácter humanitário.

O Lobby Gay


Em Espanha após a aprovação do casamento homossexual, Zapatero lançou uma disciplina nas escolas, chamada EPC (Programa de Educação Sexual) obrigatória e onde se promove a homossexualidade.

“Sexo é para o prazer, tanto quanto podemos ou queremos”, é dito aos adolescentes espanhóis pelo seu governo socialista. “Faça e deixe os outros fazerem o que quiserem”.

Essas palavras apareceram em um panfleto distribuído aos alunos na região da Catalunha, informou Matthew Cullinan Hoffman, do LifeSiteNews.com

“Apreciar o sexo é uma coisa natural e recomendável”, o panfleto também afirma. “Aprenda as melhores maneiras de se divertir com segurança e tranquilidade.”

O panfleto também apoia relações homossexuais, segundo o Fórum Libertas, nenhuma menção é feita à abstinência, nem as consequências de uma relação sexual.

Programas que activamente minam a moralidade sexual entre os jovens estão cada vez mais comuns na Espanha, que implementou uma campanha nacional para, entre outras coisas, “rever a atitude do aluno em relação à homossexualidade” e combater a “homofobia”.

A organização “Cordoba Educa em Liberdade”, um grupo de oposição ao EPC, está acusando o Instituto Maimonides de Ensino Secundário de ensinar a adolescentes de 13-14 anos que “a natureza nos dá o sexo para que possamos usá-lo com outra menina, outro menino, ou com um animal”, de acordo com um relatório dos Profissionais pela Ética.

A lei em Espanha foi escrita de forma a não permitir direito de objecção, como ficou demonstrado com o caso do Juiz espanhol António Alonso.

“Apresento a minha demissão devido à minha impossibilidade moral de unir pelo casamento casais homossexuais, pelo que não posso aplicar esta lei”

Alonso explicou porque é que se demitia contra sua vontade, “a lei está feita para que todos aceitem o casamento homossexual e que todo aquele que não esteja de acordo abandone o seu cargo”. Ler Aqui

No Reino Unido duas crianças foram retiradas aos avós e entregues a um casal homossexual que não tinha qualquer relação familiar com as crianças, Ler aqui

O psiquiatra Joseph Nicolosi fez com que mais de 200 pessoas abandonassem a homossexualidade. Consequentemente a Califórnia aprovou uma lei que pune os médicos que tratam os homossexuais que voluntariamente os procuram. Este tipo de leis rapidamente se espalhou pelos países que legalizaram o casamento gay.

Em Portugal a estratégia consistiu em antecipar-se exigindo à ordem dos médicos que declarasse não ser possível um psiquiatra mudar um homossexual.


Qualquer estação de televisão do Canadá que permita afirmações anti-gay leva uma multa de $200 000. Esta punição não admite recurso e cabe a homossexuais dizer se alguma estação prevaricou.

Chris Kempling, professor numa escola pública, no Canadá, foi suspensa por um mês por ter dito a um jornal que “Gay people are seriously at risk [of sexually transmitted disease], not because of heterosexual attitudes but because of their sexual behavior”; “Homosexual relationships are unstable, ‘gay’ sex poses health risks and many religions consider homosexuality immoral.”

Na sentença o juiz Ronald Holmes disse que “declarações discriminatórias feitas fora do local de trabalho podem ser punidas no local de trabalho”. Ler mais Aqui


Em 2008 a cerveja TAGUS lançou em Portugal uma campanha cujo slogan era “Orgulho heterossexual”. Alguns gays protestaram conseguindo a remoção da campanha.

Em 1998 uma funcionária da Bell Atalatic, Annie Coffey-Montes, há mais de 20 anos na empresa, foi despedida por tentar sair de uma lista de emails [GLOBE – Gay and Lesbians of Bell Atlantic], que anunciava marchas do orgulho gay, etc. Durante um ano pediu ao seu chefe que a retirasse da lista, sem sucesso, até que respondeu a um email: “Please take me off this email. I find it morally offensive. God bless you.” Foi despedida com a alegação de que “promovia um ambiente de trabalho hostil”. Ler mais Aqui


Em 2001 Albert Buonanno foi despedido da AT&T Broadband, Denver, por não assinar uma declaração na qual se comprometia a “fully value sexual orientation differences.” Ler mais Aqui

Em Outubro de 2002 Rolf Szabo, um funcionário da Eastman Kodak Company foi despedido por ter respondido a um email de propaganda gay nestes termos: “Please do not send this type of information to me anymore, as I find it disgusting and offensive. Thank you.” Ler mais Aqui

Em 2003 Richard Peterson, funcionário da Hewlett-Packard em Idaho colocou no seu gabinete dois versisculos da Bíblia em resposta a um poster colocado por dois homossexuais que trabalhavam no gabinete do lado. Foi despedido por não aceitar os “valores da companhia”.

Scott Brockie, dono de uma tipografia, foi condenado a pagar uma multa de $5000 por recusar imprimir folhetos para o Canadian Gay and Lesbian Archives. Ao recorrer da sentença, teve de pagar $100,000 em custas, mas foi ainda obrigado a pagar $40,000 para compensar as despesas com advogados que a Ontario Human Rights Commission teve no processo. Ler mais Aqui

Na Califórnia todas as escolas que recebem dinheiro do Estado (sejam públicas, privadas, religiosas, etc.) têm de promover a homossexualidade. O material educativo é produzido pela Gay, Lesbian, and Straight Educational Network (GLSEN). Numa das cenas, um menino diz:

“What’s wrong with being like a girl? !  They are swine, I am the pearl!  And let them laugh and let them scream!  They’ll be beheaded when I’m queen!”.

Num video da GLSEN, uma menina de 8 anos lê um texto no qual diz que todos os que aceitam a Bíblia são estúpidos. O professor (no vídeo) dá-lhe 20 valores.

Em 2002 o Supremo Tribunal do Canadá determinou que nem pais nem directores nem ninguém pode impedir as escolas e os jardins-de-infância de promover a homossexualidade.

Em Julho 2004 um pastor protestante, Ake Green, foi condenado a um mês de cadeia por ter dito numa pregação na igreja que a homossexualidade “é um tumor no corpo da sociedade”.


O Cardeal Gustaaf Joos, Bélgica, foi processado judicialmente em 2004 por declarações feitas a uma revista.

O Cardeal Antonio Maria Rouco Varela, cardeal de Madrid, foi processado por uma homilia sobre a homossexualidade, dentro da sua catedral em 2003.

Em 2000 foi noticia em todo o mundo que as autoridades holandesas queriam processar o Papa João Paulo II por ter dito que a gay pride em 2000 era uma ofensa aos valores cristãos. O Governo Holandês apenas desistiu quando constatou e aceitou que João Paulo II tinha imunidade.

O bispo anglicano de Chester, U.K., Peter Forster, foi sujeito a uma investigação policial, em Outubro de 2003, por ter dito a um jornal que os homossexuais podem deixar de o ser.  Ler mai Aqui

Em 2004 onze evangélicos foram presos por terem um cartaz a dizer: “Homosexuality Is Sin; Christ Can Set You Free”, junto de uma festa homossexual num local público. Foram acusados de conspiração criminosa.


Em New Jersey todas as Igrejas estão obrigadas por lei a dar todos os sacramentos aos homossexuais, incluindo o sacerdócio e o casamento. A lei proíbe os pastores e padres de fazer homilias contra a homossexualidade e proíbe os cidadãos de fazer boicotes a empresas que promovam a homossexualidade. Depois de várias batalhas jurídicas, os tribunais aceitaram que as igrejas por agora, ficam dispensadas de cumprir esta lei.

A Diocese de Mineapolis expulsou o grupo Dignity, um grupo pró-homossexualidade que se diz católico, do seu Campus Ministry Newman Center. Por causa disso, e com base numa lei que proíbe a discriminação dos homossexuais, a Diocese foi condenada a pagar $30000 de indemnização, ao grupo e à cidade.

No Minnesota um padre católico foi condenado a um ano de cadeia por ter recusado contratar como professor de crianças um homossexual com um longo cadastro de abuso de menores.