Acordo Ortográfico? NUNCA!!!


Anúncios

PNR recebe SPP na sua Sede


Reuniram-se ontem, na sede do PNR em Lisboa, os dirigentes do SPP (Sindicato dos Profissionais da Polícia), António Ramos e Mário Andrade, com o Presidente do Partido, José Pinto-Coelho e Joaquim Santos, Vogal da Comissão Política e responsável pelo pelouro da Defesa e Forças de Segurança.

Nessa reunião de trabalho e troca de impressões, o PNR reiterou o total apoio à Polícia e à sua luta. Os dirigentes da SPP explicaram detalhadamente as suas reivindicações e elencaram todos os problemas e falta de apoio que afectam os Agentes, as suas condições de trabalho e a sua autoridade.

O PNR emitirá, em breve, um documento de tomada de posição sobre o assunto, no qual denunciará a realidade inqualificável das carências e falta de condições em que os Agentes exercem as suas funções e apontará, de modo reforçado e ainda mais fundamentado, aquelas que têm sido as suas propostas.

Rapper americano 50 cent, goza com catástrofe no Japão


Após o Japão ter sido arrasado por um tremor de terra seguido por um tsunami, este energúmeno decidido explanar toda a diarreia que lhe vai na alma, na rede social Twiter.

“A onda chegará às oito da manhã e aqueles miúdos brancos doidos vão tentar surfá-la”

“Isto é muito sério, tive que evacuar todas as minhas p**** de L.A., Havai e Japão”.

Após várias críticas no Twiter, aquele inqualificável ainda teve a ousadia de arrematar, dizendo:

“Isto é de doidos, mas o que é que se pode fazer. Vamos rezar por aqueles que perderam alguém. Alguns dos meus ‘tweets’ são ignorantes, eu faço-os para chocar as pessoas. Odeiem-me ou adorem-me. De qualquer maneira, eu sou fixe”.

Estado da nação II


Enquanto a população portuguesa aperta o cinto, outros beneficiam das benesses do governo, é o caso do golfe, onde o IVA cai de 23% para 6%, um sector “imprescindível” nos dias que correm.

O estado da nação


A economia actual, só tem um propósito, o enriquecimento de uns em detrimento de outros.

100% Português


Tradição pagã. Este é o nosso Carnaval, o resto é conversa.

A tolerância do PS